OCUPAR-SE PARA NÃO PREOCUPAR-SE

Atualizado: 26 de nov. de 2021

Simone Klober

Membro Didata em Formação nas áreas Organizacional e Educacional


Será que minha proposta será aceita? E se houver cortes na empresa? Como vou viver sem minha mãe por perto? E se eu não der conta? E se essa pandemia não passar?

Pensamentos como esse nos roubam energia, o sono e a paz. Além de nos conduzir a um universo de pensamentos infrutíferos e negativos a preocupação paralisa nossas ações e nos impede de enxergar a realidade como ela é. Acabamos criando cenários complexos e as vezes fantasiosos resultando em medo, ansiedade e desassossego.

A palavra ‘pre·o·cu·pa·ção’ de acordo com o dicionário Priberam, se origina do latim praeoccupatio-onis – ocupação prévia. Refere-se ao estado de espírito ocupado por uma ideia fixa a ponto de não prestar atenção em nada mais, envolve inquietação, pressentimentos ruins e tristeza. A palavra preocupação em inglês (worry) tem origem anglo-saxônica e significa Estrangular ou Sufocar, que é exatamente a sensação que muitas pessoas afirmam ter quando estão preocupadas. Comparada à aceleração do motor de um carro em ponto morto, a preocupação queima energia (combustível), produz ruídos e libera fumaça que pode nos sufocar e intoxicar, mas nos mantém inertes, e não nos leva a lugar nenhum pois acelerar mais ou se preocupar mais, não nos faz sair do lugar. A preocupação imobiliza e nos impede de tomar atitudes que promovam mudanças fazendo com que fiquemos cada vez mais agarrados ao problema a ponto de desviar os olhos da solução.

Que tal trocar o preocupar-se com pelo ocupar-se?

A ocupação é algo prático, dinâmico e criativo. Refere-se de fato à fazer algo, colocar-se em ação, exercer o controle sobre determinado espaço ou situação, tomar para si a responsabilidade, exercer e desempenhar uma atividade dedicar-se a tratar de algo. Podemos nos ocupar verdadeiramente de algo quando:

  • Olhamos para dados e para a existência do que ocorre de fato. O que existe sem nossa interpretação e julgamento desses fatos;

  • Analisamos a importância e significado desses fatos para ter clareza sobre seus impactos reais em nós, nos outros e na situação;

  • Pensamos em possibilidades de ações para mudar a situação, listando todas as possibilidades que conseguirmos identificar, sem censura, livremente. Tudo pode ser possível.

  • E por fim, dentre todas as possibilidades escolhemos as ações que compreendemos ter mais capacidade para executar e planejamos como coloca-las em prática e nos OCUPAMOS delas!

Qualificar significa reconhecer a existência das coisas assim como elas são, sem preconceitos ou julgamentos, e que todos são Ok como são. Qualificar a realidade ou ocupar-se da realidade, possibilita olhar para o que acontece sem contaminação, compreender o impacto real das coisas, pensar em soluções e planejar como agir, ocupando-se da solução e não preocupando-se com o problema.

Somos seres ilimitados, com capacidades infinitas quando estamos inteiros e conectados com a realidade. Conscientemente focados no aqui e agora, podemos direcionar energia suficiente para ação à medida que escolhemos não mergulhar nas preocupações.

Vamos nos ocupar?


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo